Stablecoins ainda não chamam atenção de reguladores, diz especialista

Stablecoins ainda não chamam atenção de reguladores, diz especialista

A regulação das criptomoedas é um tema de bastante debate na comunidade, já que muitos países ainda não possuem uma legislação para esses ativos.

Assim, a regulação foi o tema do artigo do especialista em criptomoedas da Empiricus, André Franco, para o portal Seu Dinheiro.

Na matéria, publicada em 27 de maio, Franco falou mais precisamente sobre as stablecoins, criptomoedas que possuem paridade com alguma moeda fiduciária ou ativo. Para ele, esses ativos ainda “estão longe de incomodar os reguladores”. Isso porque ,segundo Franco, as stablecoins, hoje no mundo representam juntas um total de US$ 10 bilhões.

Crescimento do Tether

No artigo, Franco destacou o Tether, como sendo pioneiro das stablecoins, além de ser o mais conhecido e o mais controverso também. Já que, segundo ele, muito se especula sobre a empresa por trás do Tether ter ou não a mesma quantidade de dólares que existem das stablecoins. Ainda assim, o Tether possui quase US$ 9 bilhões em tamanho de mercado e está nas primeiras posições no ranking de criptoativos.

Para a análise, Franco explicou que em janeiro de 2020, o Tether tinha apenas US$ 4 bilhões em tamanho de mercado. Já no começo de maio, esse número ultrapassou os US$ 8 bilhões, “possivelmente mostrando uma demanda pelo ativo”.

Sobre a regulação

Conforme detalhou Franco, os reguladores mundiais têm observado o comportamento desse tipo de ativo. Assim, aos poucos, vão dando recomendações aos países sobre como proceder. No entanto, os regulares não são taxativos com o que deve ser adotado.

O órgão internacional que monitora e faz recomendações sobre o sistema financeiro global é o Conselho de Instabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês). Segundo Franco, embora o FSB tenha se pronunciado sobre o tema recentemente, indicando que os países regulassem esse tipo de instrumento, o órgão não levou em conta as idiossincrasias de cada país.

Por conta disso, o especialista da Empiricus considera que os governos não devem regular esse pequeno segmento dentro de uma classe de ativo minúscula.

“As stablecoins hoje no mundo representam juntas um total de US$ 10 bilhões, o que ainda não merece atenção global para a criação de uma regulação. Esse mercado precisa crescer pelo menos umas 20 vezes para começar a chamar a atenção dos reguladores.”

Regulação vai acontecer

Franco ainda comentou que, embora esse número pareça muito, é importante ressaltar que as stablecoins levaram dois anos para quintuplicar de tamanho.

Assim, para ele, muito provavelmente nos próximos dois anos a comunidade irá presenciar um crescimento desse segmento mais forte ainda.

“Por isso digo que a regulação pode demorar ainda alguns anos, mas vai acontecer”, finalizou.

Leia também: Baleias sacam quase 57.000 Bitcoins de exchanges em uma semana

Leia também: Samsung lança chip de segurança para proteger transações com criptomoedas

Leia também: Veja quais são as lives de criptomoedas que ocorrerão entre quinta e sexta-feira

Forex Crypto News: Cripto Facil