Sequestradores de acusado de pirâmide financeira são presos em Maceió

Sequestradores de acusado de pirâmide financeira são presos em Maceió

Um subtenente do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro e um integrante da Guarda Municipal da cidade do Rio de Janeiro foram presos após sequestrarem um empresário acusado de liderar um esquema de pirâmide financeira em Maceió.

Carlos Valerio Gonçalves do Amaral, de 58 anos, e de Igor Ferreira Coimbra, de 32 são sogro e genro. Eles foram presos após a promotora de Justiça Silvana de Almeida Abreu requerer, no dia 25 de maio, a homologação do auto de prisão em flagrante. Além disso, a promotora também determinou a conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva.

Segundo o entendimento de Silvana Abreu, Carlos e Igor representam risco à garantia da ordem pública se forem soltos. Isso porque os homens integram serviços de segurança pública no Rio. A promotora ainda observou que a profissão exercida pelos dois torna o fato ainda mais grave.

Entenda o caso

De acordo com o portal Gazetaweb, a vítima do sequestro contou que saia de sua casa com a namorada quando foi abordada por um homem, que se identificou como policial. Encapuzado, o suposto policial anunciou a prisão da vítima por estelionato e pirâmide financeira e mostrou um mandado de prisão. De acordo com o empresário, outro homem dirigia o carro em que ele foi colocado.

Ainda segundo a Gazetaweb, após o sequestro, em 24 de maio, a família da vítima rastreou seu celular e acionou a Polícia Militar (PM).

Assim, o empresário e os autores do crime foram encontrados em um motel no bairro São Jorge, em Maceió e os suspeitos foram presos. A vítima estava com um tecido preto sobre a cabeça e amarrada com os braços para trás.

A PM ainda encontrou duas armas de fogo, carregadores e munições além de um dossiê com informações sobre a vítima e seus familiares.

No documento ainda havia um script com perguntas a serem feitas à vítima. Também constava no material um direcionamento sobre como proceder após o sequestro. As ações incluíam ir em um cartório e seguir o sócio da vítima para instalar em seu carro um sistema de rastreamento.

Leia também: Youtuber lança mini documentário sobre desaparecimento do milionário brasileiro de Bitcoin

Leia também: Hackers clonam cartão e movimentam valores em Bitcoin no Brasil, revela documentário

Leia também: CVM suspende ofertas de mais uma empresa de forex no Brasil

Forex Crypto News: Cripto Facil