Queda no hash rate e na dificuldade marcam primeiro ajuste pós-halving na mineração do Bitcoin

Queda no hash rate e na dificuldade marcam primeiro ajuste pós-halving na mineração do Bitcoin

Nesta quarta-feira, 20 de maio, ocorreu o primeiro ajuste de dificuldade na mineração do Bitcoin após o halving. Um indicador de concorrência entre os mineradores de Bitcoin, o novo ajuste reduziu em 6% a dificuldade de mineração.

A dificuldade atual é de 15,14 trilhões (T), em comparação com a máxima histórica de 16,55 T registrada em março. A queda na dificuldade era esperada após o halving do dia 11 de maio, que viu a recompensa da mineração ser reduzida de 12,5 Bitcoins para 6,25 Bitcoins por bloco.

A última queda de dificuldade é a décima sexta maior queda na história do Bitcoin. O ajuste ocorre a cada 2016 blocos (cerca de duas semanas) e tem como objetivo equilibrar a dificuldade de mineração. Com o halving, muitas máquinas perderam competitividade e foram desligadas, contribuindo para a atual queda.

Expectativa de aumento no hash rate

Outra métrica importante da atividade de mineração de Bitcoin é o hash rate, ou poder de processamento da rede. Ele também sofreu uma redução, de 25%. Isso confirma que os mineradores com máquinas da geração antiga desconectaram a metade.

“Os mineradores estão se ajustando às novas recompensas de bloco após o halving. Vimos uma queda no hash rate do Bitcoin de cerca de 125 EH/s [exahash por segundo] pré-halving para cerca de 90 EH/s agora. A maior parte da queda de hash rate ocorreu em máquinas da geração mais antiga da China, no entanto, as mineradoras de todo o mundo foram afetadas”, disse Thomas The Heller, diretor de negócios globais do pool de mineração F2Pool.

O vice-presidente da Poolin, Alejandro De La Torre, concordou. Ele disse que cerca de 30% dos mineradores desligaram suas máquinas. Antes do halving, esses mineradores eram “pouco lucrativos”, mas agora tiveram que desligar por completo devido à redução de 50% da recompensa de mineração.

China pode impulsionar novas altas

No entanto, Heller e De La Torre afirmaram que como a época de chuvas na China deve começar por volta de 25 de maio, muitas dessas máquinas podem ser religadas caso os preços da eletricidade fiquem baratos. Conforme as chuvas aumentam durante o período de maio a outubro, a eletricidade das hidrelétricas tende a ficar mais barata.

De La Torre disse que a “estação chuvosa” na província da Sichauan na China “indubitavelmente aumentará o hash rate no curto e no médio prazo”, à medida que os operadores das lavouras de mineração migrarão para esta região nos próximos meses.

“Supondo que o preço do bitcoin permaneça estável, esperamos que o hash rate da rede aumente nas próximas semanas”, disse Heller. Além disso, a China pode voltar a legalizar a mineração de Bitcoin, aumentando a demanda pela atividade, bem como o hash rate dedicado ao Bitcoin.

Leia também: Possível carteira do criador do Bitcoin acaba de mover 50 BTC

Leia também: Autor de “Pai Rico, Pai Pobre” afirma que Bitcoin passará dos R$ 400.000 em 3 anos

Leia também: 4 Formas de utilizar o Bitcoin

Forex Crypto News: Cripto Facil