Quais as diferenças entre o Bitcoin e o Ethereum?

Sendo as duas maiores criptomoedas em valor de mercado, é natural que as comparações do Etherem com o Bitcoin se tornem mais comuns ao longo do tempo. Muitas pessoas ainda enxergam as duas criptomoedas como concorrentes, embora suas propostas de uso sejam bastante diferentes.

Por isso, o artigo de hoje tem como objetivo esclarecer melhor quais são as principais diferenças entre o Ethereum e o Bitcoin e, com isso, ajudar você leitor a entender melhor cada uma delas. Vamos às diferenças.

Objetivo

A primeira diferença entre o Ethereum e o Bitcoin começa no objetivo. Um dos objetivos do Bitcoin é ser um sistema de dinheiro digital que fosse eficiente em transferir valores e fosse livre de intermediários, como bancos e governos.

Já o Ether, embora possa ser utilizado para transações, tem um objetivo central diferente. A ideia por trás da rede Ethereum é servir como um grande computador descentralizado no qual pessoas possam criar seus próprios projetos e tokens.

Oferta monetária

Esta é provavelmente a principal diferença entre o Bitcoin e o Ether. O Bitcoin possui um limite rígido de emissão em 21 mihões de tokens, sendo que nenhum satoshi a mais será emitido após esse valor. Já o Ether não possui limite de emissão, o que o torna pouco útil a servir como reserva de valor e/ou moeda.

Taxa de emissão dos tokens

Assim como a oferta monetária, a taxa de emissão dos tokens também é diferente. No Bitcoin são criadas 12,5 unidades a cada 10 minutos, o equivalente a 667 mil bitcoins por ano. No entanto, esse número cai pela metade a cada 4 anos em média.

Já com o Ethereum é diferente: a cada 12 segundos, 5 ETH novos aparecem como recompensa para os mineradores que confirmam as transações. Isso representa aproximadamente 18 milhões de ETH novos por ano. E, como vimos no tópico anterior, a oferta é ilimitada.

Forma de lançamento

O Ether foi lançada por meio de uma captação de investimentos via ICO em 2014, sendo que 60 milhões de tokens foram comprados por usuários em sua campanha de lançamento. O Bitcoin, por sua vez, não dependeu de nenhum investidor ou oferta para ser lançado. Ele simplesmente foi executado por Satoshi Nakamoto, que divulgou a criptomoeda na internet e começou a chamar a atenção de outras pessoas que, voluntariamente, decidiram executar o software do Bitcoin em troca das recompensas do bloco.

Algoritmo de mineração

O Bitcoin é minerado por ASICs, Ethereum por GPUs. Os chips ASIC são mais eficientes e potentes, mas tem a desvantagem do alto custo – que os torna pouco acessíveis para a maioria das pessoas. Já as GPUs são bem mais fáceis de encontrar em qualquer país, fornecendo uma competição mais justa e a custos menores.

Sobre o algoritimo de consenso, hoje ambas utilizam o sistema de Prova de Trabalho (PoW), todavia a Ethereum está numa lenta migração para a Prova de Participação (PoS), o que pode melhorar a escalabilidade da rede.

Tempo de confirmação das transações

O tempo médio para confirmação de um bloco na Ethereum é de 14 segundos, enquanto o do Bitcoin é de 10 minutos. Ambas as redes permitem a customização das taxas, ou seja, o usuário pode escolher uma taxa mais alta ou mais baixa de acordo com a prioridade que ele deseja para a aprovação da sua transação na rede.

Leia também: O que é e como funciona o Proof of Work?

Forex Crypto News: Cripto Facil