Professor da USP diz que educar é a forma correta de tratar o Bitcoin

Em uma entrevista concedida para a Rádio USP, o professor Bruno Albertini, da Poli-USP, defendeu o Bitcoin declarando que nenhum governo pode controlar a principal criptomoeda do mercado e disse também que o principal mecanismo para combater pirâmides financeiras deve ser a educação financeira para que cidadãos não sejam iludidos por promessas de lucro fácil.

“O Banco Central não vai controlar o Bitcoin, a Casa da Moeda não vai controlar o BTC, nem governo nenhum do mundo. Não tem como regular a inflação de criptomoedas descentralizadas”, disse.

Albertini também abordou as proposta de regulamentação das criptomoedas, que, segundo ele, estão equivocadas, embora o governo precise ter certo controle sobre o uso dos criptoativos para combater lavagem de dinheiro e práticas criminosas. Embora, segundo ele, ativos regulamentados como o próprio Real serem muito mais usados para este fim.

“Regulamentar não é a maneira. A maneira correta é educar as pessoas para que elas entendam que a criptomoeda é um ativo virtual, que tem um valor financeiro, altamente instável e que não é um investimento. A regulamentação é mais para proteger o governo que o cidadão”, declarou.

Recentemente, em outra entrevista, desta vez para a Revista Época, o professor declarou que em breve ninguém precisará mais digitar uma mensagem ou um número para se comunicar.

“Em 20 anos, nos comunicaremos por mecanismos automáticos, com reconhecimento de linguagem natural. A pessoa só precisará falar o que quer. Dispositivos, como geladeira ou celular, vão reconhecer o que você quer e agir, conectando-se, por exemplo, com alguém por vídeo ou áudio”, previu.

Leia também: Professor de economia da USP afirma que as criptomoedas ajudam a promover inclusão financeira

Forex Crypto News: Cripto Facil