Hackers da Operação Spoofing são indiciados pela Polícia Federal

A Operação Spoofing foi deflagrada logo após o vazamento de conversas entre Sérgio Moro e procuradores da Lava-Jato enquanto Moro ainda atuava no caso. Quatro pessoas foram presas na primeira fase em julho e duas foram presas na segunda fase em setembro. A Polícia Federal (PF) chegou a investigar se os suspeitos foram pagos em Bitcoin. Agora, a PF indiciou os seis presos, cabendo ao Ministério Público decidir pelo oferecimento ou não da denúncia.

De acordo com uma publicação do G1, o indiciamento por parte da Polícia Federal significa que a autoridade concluiu haver indícios de que os crimes pelos quais os seis presos são investigados foram cometidos, sendo eles uma organização criminosa e interceptação de comunicação telemática.

Em julho, o juiz responsável pela Operação Spoofing ordenou que exchanges de criptoativos fornecessem dados sobre possíveis saldos pertencentes aos suspeitos, após descobrir que um deles supostamente operava com Bitcoin.

Por enquanto, os indiciados não estão sendo processados. Agora cabe à Procuradoria da República em Brasília decidir se apresentará denúncia sobre o caso, iniciando assim a persecução penal sobre a prática dos crimes acima mencionados.

Contudo, a investigações ainda não foram encerradas. Um dos indiciados, Luiz Henrique Molição, utilizou o instituto da delação premiada para negociar um abrandamento de sua pena em troca de informações.

Com as informações obtidas, a Polícia Federal prosseguirá investigando sobre o caso, dando continuidade à Operação Spoofing.

Leia também: Polícia Federal investiga se suspeitos da Operação Spoofing receberam pagamentos em Bitcoin

Forex Crypto News: Cripto Facil