G44 envia acordo para clientes e some com saldos anteriores; Clientes denunciam à polícia

Conforme reportado pelo CriptoFácil, a G44 anunciaria um novo acordo no dia 29 de maio.

O acordo propõe o pagamento do capital investido, e justifica o não cumprimento do primeiro acordo com a pandemia de coronavírus. Além disso, clientes que optam pelo acordo estão tendo seus saldos zerados.

Uma fonte confirmou ao CriptoFácil que três clientes, indignados com os termos, levaram o acordo à autoridade policial.

G44 pagará apenas o valor investido e some com rendimentos

No corpo do acordo, a G44 afirma zelar pela “boa-fé e lisura”, mostrando-se disposta a “entabular acordo com todos”.

Em seguida, a empresa passa a justificar o não pagamento do primeiro acordo, este extrajudicial. Segundo a empresa, a pandemia do coronavírus “impossibilitou de forma incondicional” que honrasse com seus compromissos.

É importante ressaltar que os problemas com a empresa começaram no fim de 2019, muito antes do anúncio sobre a pandemia, feito em março deste ano.

Ademais, a G44 afirma que pagará somente o valor investido:

“Desta forma, a proposta concreta de acordo, seria a restituição do capital investido, embora, saibamos, que aproximadamente 97% (noventa e sete) dos sócios lucram, em média, três vezes a mais do valor de investimento inicial. (sic)”

Concluindo o acordo, a empresa afirma que deseja dar a “devida restituição” a todos os seus sócios. Entretanto, clientes estão relatando que o saldo está sendo zerado quando se opta pelo acordo.

Uma fonte encaminhou ao CriptoFácil o áudio abaixo, gravado por um dos clientes da G44:

Por fim, é importante ressaltar que o acordo não dá detalhes sobre o pagamento, tendo o dono da G44 dito que “não interessa quantas parcelas” serão estipuladas.

Acordo G44
Acordo G44

É possível conferir o acordo em sua integralidade na imagem abaixo:

Usuários indignados acionam a polícia

Segundo um dos advogados que acompanha o caso e representa clientes da G44, Jorge Calazans, três vítimas foram ouvidas em um delegacia de São Paulo.

Calazans afirma que as oitivas foram realizadas a pedido do delegado, que tem acompanhado de perto o caso.

É importante ressaltar que a G44 já foi objeto de uma notícia-crime encaminhada a autoridades policiais em Santos/SP.

Posteriormente, uma nova notícia-crime foi encaminhada à Polícia Federal.

O que é a G44?

A G44, ou G44 Brasil, é um conglomerado que supostamente atua com mineração de ouro e esmeraldas, construção civil e criptomoedas. A empresa ficou famosa após suas ofertas de ganhos estratosféricos, auferidos por meio de supostas negociações com criptoativos.

Desde 2019, os clientes da empresa não recebem os rendimentos prometidos, com boa parte destes investidores sequer conseguindo reaver os valores depositados. Em fevereiro deste ano, a empresa apresentou uma proposta de acordo extrajudicial sobre seus produtos, Sprint 200 e Sprint 250.

Contudo, mesmo com a proposta de acordo extrajudicial, os investidores não receberam os valores. A G44 e seus sócios, Joselita de Brito de Escobar e Saleem Ahmed Zaheer, respondem a um processo administrativo na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) desde 2018.

Além disso, o grupo econômico foi denunciado em Santos/SP, pela prática de 11 condutas criminosas diferentes. Posteriormente, a mesma notícia-crime foi encaminhada à Polícia Federal.

Agora, o grupo está firmando acordos para pagar seus clientes, embora sem dar detalhes.

Forex Crypto News: Cripto Facil