Ethereum 2.0 acumula mais de 400 nós ativos em rede de teste

Ethereum 2.0 acumula mais de 400 nós ativos em rede de teste

O lançamento do Ethereum 2.0 parece estar se aproximando na medida em que a rede de testes cresce dia após dia.

Segundo dados do Ethernodes, já são cerca de 400 nós conectados na rede de testes ao redor do mundo.

Além do Onix , que é a rede de teste mais popular nesse ecossistema, a plataforma Witti Network possui cerca de 43 nós em funcionamento e a Topázio em torno de 70 nós.

Desenvolendo Ethereum

A maioria desses nós está localizada na Europa e na América do Norte.

Assim, países europeus como Alemanha, Suíça, França e Espanha lideram em número de nós ativos. No entanto, há também forte presença de nós ativos na China, Austrália, Nova Zelândia e Canadá.

Já a América Latina não tem uma presença tão forte nas redes de teste Ethereum 2.0, embora o Brasil se destaque entre os poucos países latino-americanos que possuem mais de um nó conectado.

número de nós ativos - Ethereum 2.0

Sobre o Ethereum 2.0 

O Ethereum 2.0 promete ser uma grande mudança no ETH.

Além da mudança de Proof-of-work (poW) para Proof-of-stake (Pos) haverá uma serie de atualizações para melhorar a blockchain da segunda maior criptomoeda do mercado.

No caso do PoS em vez de usar a mineração para confirmar transações, a rede apresentará uma nova entidade chamada validadores.

Assim, esses atores executam seus nós para confirmar novos blocos e receber recompensas por suas atividades, com a única condição de manter moedas depositadas na rede.

Devido à importância dos validadores na operação do Ethereum 2.0, é surpreendente que a rede de testes Onix já possua mais de 29.000 validadores ativos, principalmente considerando que este  tesnet  foi lançado em 10 de junho.

Assim, esses números podem indicar o compromisso da comunidade Ethereum de migrar de uma blockchain para outra.

Novas redes e clientes

Além das redes de teste já mencionadas, uma nova plataforma com vários clientes foi incorporada recentemente.

Chamada de rede Altona, a plataforma permitirá a conexão de clientes como Prysm, Lighthouse, Nimbus e Teku.

Cada um desses serviços está sendo desenvolvido em paralelo com o Ethereum 2.0, com o objetivo de que se tornem os clientes dessa nova rede principal.

O grupo Prysmatic Labs, também responsável pelo desenvolvimento do Onix, está por trás da operação do cliente Prysm , que foi criado sob a linguagem de programação Golang como uma de suas principais características.

Planos para 2020

Enquanto esses avanços tecnológicos estão ocorrendo, a promessa da equipe de desenvolvedores da Ethereum é que a nova versão da blockchain seja lançada ainda em 2020.

No entanto, devido a constantes atrasos em sua data oficial de lançamento, alguns temem que os contratempos dos aspectos técnicos e da pandemia possam atrasar sua ativação novamente.

Um relatório de Ben Edgington, colaborador do Ethereum 2.0, confirmou que a atualização do algoritmo Proof of Stake da blockchain foi remarcada em maio e ainda não há uma data final para ativação.

Leia também: Lendário investidor afirma que Bitcoin será apagado por governos

Leia também: Mineração de Ethereum fica 20% mais rentável nas últimas semanas

Leia também: Bitcoin deve começar ciclo de alta, mas Ethereum e altcoins superarão o BTC, diz Pantera Capital

Forex Crypto News: Cripto Facil