Entenda o papel das ONGs que fazem parte da Associação Libra

Quem pode causar a verdadeira inclusão financeira global? O Bitcoin? Ou talvez a criptomoeda criada pela empresa de um ex-aluno que abandonou a Universidade de Harvard e criou uma das maiores redes sociais do planeta.

De acordo o anúncio de seu lançamento em junho, a principal prioridade da Libra, stablecoin inventada pelo Facebook de Mark Zuckerberg, é alcançar as pessoas que não dispõem de serviços bancários. No entanto, a maioria de seus parceiros fundadores são empresas que possuem a base de suas operações no mundo desenvolvido, como Uber, Mastercard, Stripe e eBay – que atuam em países onde Internet, bancos e cartões de crédito são fortemente disseminados.

Então, como a Associação Libra (grupo responsável pela gestão da criptomoeda do Facebook) espera que aqueles que mais sofrem com acesso a serviços financeiros consigam ter acesso à uma stablecoin criada por um outro gigante do mundo desenvolvido? Esse, provavelmente, será o papel das quatro organizações não-governamentais (ONGs) que fazem parte da Associação.

Entre os 27 “parceiros fundadores” (23, após a saída de PayPal, Visa, Mastercard, eBay e Stripe), há um pequeno quadro de quatro ONGs cujo foco de trabalho é exatamente nos países mais pobres do mundo: Mercy Corps, Women’s World Banking (WWB), Kiva International e Creative Destruction Lab.

Até o momento, não há informações claras sobre como a implementação da Libra realmente funcionará – desde junho, o foco da Associação é contornar a oposição geral dos órgãos reguladores ao projeto. Ao vermos o destino da Libra nas mãos do Congresso dos Estados Unidos ou de Bruxelas (sede do Parlamento Europeu), fica fácil esquecer que a Libra tem como público-alvo lugares como Uganda, Paquistão e Indonésia.

Mas as ONGs parceiras estão cautelosamente otimistas sobre o potencial da Libra e satisfeitos com a disposição da Associação em dar-lhes um assento completo na mesa, apesar do fato de que eles não comprarão a Libra Coin, o token de governança de US$10 milhões que será vendido aos demais membros do grupo.

“Este pequeno grupo de ONGs não foi montado apenas como uma fachada legal de impacto social”, disse J. Tom Jones, diretor de operações do WWB. “Isso (a inclusão delas) foi realmente importante do ponto de vista da análise de risco.”

Todos os olhos em Genebra

A Associação está tomando decisões sobre governança, inclusive com o papel das ONGs. Os membros da Associação Libra se reuniram em Genebra na segunda-feira, 14 de outubro, para ratificar formalmente a Carta do Grupo. Jeremiah Centrella, consultor jurídico da Mercy Corps, destacou a importância da construção conjunta dessa governança entre os parceiros da Associação.

“Se tivéssemos a oportunidade de participar de algo em que todas as perguntas foram respondidas e tudo estivesse pronto, provavelmente não teria sido atraente para nós”, disse.

Por sua parte, Jones não viu nenhum perigo particular para sua organização em ajudar a tirar a nova criptomoeda do papel.

“Em última análise, o WWB, bem como os outros parceiros de impacto, mantemos a decisão final sobre permanecer ou não no projeto”, disse ele. “Acredito firmemente que, se partirmos, isso envia um grande sinal.”

Desde a saída do PayPal, os porta-vozes do Mercy Corps, do WWB e da Kiva confirmaram seus planos de permanecer na associação. Já o Creative Destruction Lab não respondeu à solicitação de comentário da CoinDesk. Jones também destacou que a permanência na Associação não é “incondicional”.

“Não é como se fôssemos ficar calados. Se considerarmos que isso não vai funcionar para nós, diremos o porquê.”

Uma pergunta surgiu para as ONGs e levanta um questionamento interessante: eles estão recebendo apoio financeiro do Facebook ou da Associação Libra? Jones se recusou a comentar. Um porta-voz da Mercy Corps disse:

“Ocorreram conversas sobre subsídios para a operação. E isso faz parte de uma conversa que estamos tendo.”

Declarações de missão

A Associação Libra utilizou critérios rigorosos para selecionar seus parceiros de impacto, como as ONGs são chamadas no grupo. A ONG que quisesse participar da Associação deveria possuir um histórico de cinco anos com programas de inclusão financeira e um orçamento operacional de US$50 milhões.

A Mercy Corps e WWB têm uma forte ênfase no avanço dos resultados financeiros de seus respectivos círculos eleitorais.

A Mercy Corps sempre adotou uma abordagem orientada pelo mercado para suas intervenções, explicou Centrella.

“Quando o Facebook chegou, já tínhamos criado um grupo de trabalho de equipe executiva sobre tecnologia de contabilidade distribuída”, disse ele.

A organização sem fins lucrativos de Centrella trabalhou em áreas como microfinanças e inclusão financeira, buscando maneiras orientadas pela comunidade para recuperação de desastres ou alcançar crescimento econômico. Ela também divulgou um documento em 2017 sobre o potencial da blockchain para organizações sem fins lucrativos.

O papel da Libra

Mas por que o interesse inicial? A Mercy Corps geralmente pensa que o dinheiro é a principal forma para ajudar a superar desafios prementes. Pode ser mais eficaz do que outras abordagens, mas o dinheiro tem seus próprios desafios.

O dinheiro não funciona se todo o mercado tiver sido destruído, por exemplo. Também pode ser difícil entregar dinheiro fisicamente em moeda local. Além disso, deixa o pior rastro de papel (necessário para organizações sem fins lucrativos para documentar resultados). Portanto, a Libra oferece esperança para resolver algumas das desvantagens da moeda papel.

A Libra foi construída usando alguns dos melhores recursos de várias criptomoedas e está estruturado em torno de um sistema de prova de participação, com rígidos critérios sobre quem pode participar desde o início. Essa arquitetura teve seus problemas recentemente, mas a Associação não mostrou nenhuma evidência de que será rígida sobre sua governança e indicou interesse em abrir a participação ao longo do tempo.

Jones, do WWB, enfatizou pontos semelhantes. Sua organização ajuda a facilitar o microfinanciamento (a concessão de empréstimos muito pequenos a proprietários de pequenas empresas), em vez de atuar como o próprio credor. Isso inclui a prestação de serviços, como garantir empréstimos de curto prazo contra inadimplência, se os mutuários precisarem fechar a loja por alguns dias.

E as pessoas mais pobres do mundo são as mais afetadas pelas taxas do sistema financeiro global.

“Nenhuma estrutura de custos”, disse Jones sobre Libra. “Essa é uma grande vitória.”

A Libra também poderia revolucionar o sistema da WWB facilitar o trabalho mais rapidamente. Para os mutuários, ele disse que isso poderia eventualmente economizar viagens de um lado para o outro, deixando mais tempo para os negócios. Para seus negócios de seguros, a Libra pode permitir pagamentos instantâneos de sinistros.

De fato, o poder dessa velocidade aumentou várias vezes tanto com o WWB quanto com o Mercy Corps. Centrella ofereceu o exemplo mais vívido, ao dizer:

“Alguém poderia passar por um furacão e acabar com dinheiro em suas contas enquanto ele passava.”

Leia também: Associação Libra divulga roteiro com 4 metas antes do lançamento oficial da criptomoeda

Forex Crypto News: Cripto Facil

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *