É muito cedo para considerar a Bakkt um fracasso

Atenção: este é um artigo de opinião do redator, não necessariamente expressa o posicionamento do CriptoFácil.

A bastante aguardada plataforma Bakkt foi finalmente lançada no mês passado, em setembro. No entanto, o sonho de novas altas históricas foram postergados. Como destacado anteriormente, os contratos Futuros de Bitcoin da Bakkt tiveram uma resposta muito morna dos investidores. Após uma semana desde seu lançamento, eles apresentaram apenas Us$5 milhões no total negociado.

Os contratos de Futuros da Bakkt criaram muita euforia no mercado de criptoativos desde antes de seu lançamento. Esperava-se que os contratos fossem determinantes para despertar o interesse institucional no mercado. No entanto, as coisas não estão acontecendo como o esperado por muitos até agora.

Porém, apesar do início considerado decepcionante e lento por muitos entusiastas, vários analistas da Oppenheimer & Co. disseram que é muito cedo para desprezar a Bakkt.

A empresa de pesquisa de ações publicou uma nota nesta terça-feira, 01 de outubro, na qual ela incentiva os investidores a manterem a calma em meio ao baixo volume de negociações da Bakkt. Notavelmente, a Intercontinental Exchange (ICE), sua controladora, tem muitas outras iniciativas em hipotecas e fundos negociados em bolsa (ETFs), além de análises e negociações de renda fixa. A nota da pesquisa foi escrita pelo diretor da Oppenheimer Chris Kotowski e pelo analista sênior Own Lau.

Nos primeiros cinco dias de negociação, o volume médio diário de Futuros da Bakkt foi de 125 contratos com cada um deles contendo um Bitcoin. Essa é uma tímida amostra em comparação com a estreia de 2017 dos Futuros de Bitcoin na CBOE, onde o volume do primeiro mês foi de 4.000 contratos. Além disso, a CME se saiu ainda melhor, com 500 contratos com cinco Bitcoins cada, elevando esse total acumulado a 2.500 Bitcoins.

Ao contrário dos Futuros de Bitcoin das duas bolsas de Chicago, que operam como apostas paralelas na direção do preço do ativo subjacente pago em dinheiro, os acordos vigentes da Bakkt entregam Bitcoins de fato. A nota dizia:

“Neste momento, não vamos julgar se os Futuros de Bitcoin da Bakkt serão bem-sucedidos ou não ou se o volume de negociação dos Futuros de Bitcoin da Bakkt aumentará no futuro.”

Os analistas estão cientes de que a adoção em massa do Bitcoin e de outros ativos digitais ainda tem um longo caminho a percorrer. No entanto, os investidores não devem desconsiderar que o primeiro volume de negociação de Futuros de Bitcoin, introduzido pela Bakkt, não atendeu à expectativa original.

A nota aponta também que o volume médio diário da CBOE no primeiro mês se deteriorou. A queda no volume diário fez com que a plataforma parasse de listar os Futuros de Bitcoin em junho de 2019. Por outro lado, o volume médio diário da CME aumentou e atingiu 7.000 em julho de 2019.

Esses analistas também sugerem que o Bitcoin pode não ser o token virtual que ganhará a adoção em massa. Portanto, a ICE e a CME estariam prontos para o surgimento de outros ativos digitais. Portanto, no futuro, seriam considerados apenas os ativos que configuraram uma infraestrutura adequada. A empresa de pesquisa destacou os planos da CME de lançar opções de Bitcoin no primeiro trimestre de 2020. Isso funcionará como prova fundamental de que ainda há algum interesse dos investidores institucionais nesses instrumentos financeiros alternativos.

Quando a Bakkt foi anunciada pela primeira vez em 2018, todo o universo de criptoativos a recebeu como um ótimo complemento para o setor. Havia grandes esperanças de que ela tivesse poder suficiente para impulsionar significativamente o mercado, no entanto, embora alguns acreditem que ainda é muito cedo para julgar, a primeira semana do lançamento de Bakkt não foi animadora.

Conforme relatado anteriormente, o mercado geral caiu e alguns consideram que seja em resposta à fraca acomodação da Bakkt no mercado. O Bitcoin perdeu mais de 17% desde então e os mercados de altcoins estão com desempenho ainda pior. Os analistas do banco norte-americano  JP Morgan defendem que a Bakkt foi a principal razão da recente queda de preço do Bitcoin.

Leia também: Futuros de Bitcoin da Bakkt somam apenas US$5 milhões na primeira semana

Forex Crypto News: Cripto Facil

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *