Corte da China ordena congelamento de bens de subsidiária da Bitmain

Um tribunal distrital de Shenzhen, na China, ordenou o bloqueio de quase US$680 mil em ativos pertencentes à uma subsidiária integral da gigante de mineração de criptomoedas Bitmain, informou a Coindesk nesta segunda-feira, 16 de dezembro.

Em uma decisão emitida em 27 de setembro e publicada na sexta-feira, 13 de dezembro, o Tribunal Distrital de Shenzhen Bao’An tomou partido de uma empresa chamada Dongguan Yongjiang Electronics, concedendo um pedido de proteção de ativos em uma disputa contratual com o réu Shenzhen Century Cloud Core.

A Yongjiang, que fornece componentes para dispositivos eletrônicos, pediu ao tribunal em 25 de setembro que congelasse 4,7 milhões de yuans (cerca de US$676 mil) em ativos pertencentes à subsidiária de mineração para garantir que seria capaz de reivindicar esse valor caso o tribunal decidisse a seu favor em uma disputa de contrato comercial em andamento.

A Century Cloud Core é de propriedade exclusiva da Beijing Bitmain Technologies e é uma subsidiária significativa da gigante da mineração. A empresa é responsável pela fabricação, execução de garantia de qualidade e embalagem dos equipamentos de mineração de Bitcoin da Bitmain (ASICs), que atualmente detém a maior parte do hashrate de mineração do Bitcoin.

O tribunal não estipulou por quanto tempo o bloqueio dos bens terá efeito. Com base nas leis chinesas, o congelamento de contas bancárias e outras reservas de fundos em geral não deve exceder seis meses, enquanto os ativos circulantes ou líquidos não devem ser mantidos em custódia por mais de um ano. A Bitmain se recusou a comentar o caso.

Não é a primeira vez que a subsidiária de Shenzhen é envolvida em disputas de contratos de compra com fornecedores de componentes eletrônicos. Desde janeiro de 2019, pelo menos quatro casos foram movidos por diferentes fabricantes de dispositivos eletrônicos em Shenzhen contra a Century Cloud Core e a Beijing Bitmain Technologies, com base em dados judiciais.

Outro demandante, Youda Electronics, com sede em Shenzhen e Hong Kong, também entrou com pedido de bloqueio de ativos em março, levando ao tribunal um pedido de bloqueio de 5,2 milhões de yuans (US$745.000) pertencentes à Bitmain e sua subsidiária. Essa decisão não foi tornada pública até 03 de novembro.

Os processos judiciais ocorreram em um momento em que a Bitmain estava enfrentando a crise do mercado de criptomoedas desde o final do ano passado, assim como importantes demissões do quadro de funcionários da empresa.

Em uma reunião interna no mês passado, Jihan Wu, cofundador da Bitmain, admitiu aos funcionários que a empresa enfrentava pressão de fornecedores para compensar contas a pagar em dezembro do ano passado.

Wu chegou a comentar que se o mercado não tivesse se recuperado em 2019, a Bitmain pode não ter sido capaz de resistir ao período de baixa. A empresa recentemente reformulou sua estratégia de vendas para parecer mais atraente para os clientes de mineração antes do corte na recompensa de mineração do Bitcoin, programado para ocorrer em maio de 2020.

Leia também: China atinge a maior participação no hashrate do Bitcoin desde 2017

Forex Crypto News: Cripto Facil