Confira os 5 criptoativos do top 10 com as melhores performances em junho

Confira os 5 criptoativos do top 10 com as melhores performances em junho

Junho foi um mês duro para os criptoativos do top 10.

As performances foram recheadas de perdas, exceto por uma criptomoeda, que conseguiu escapar do sexto mês do ano valorizando.

Confira abaixo quais foram as melhores – talvez “menos piores” – performances de junho.

5 – Litecoin (LTC)

A Litecoin é a “prata do ouro do Bitcoin”, tendo surgido de um hard fork da maior criptomoeda do mercado. Porém, nem a prata do BTC escapou do duro mês de junho.

Após começar o mês cotada a US$ 48,13, um escorregão de 13,84% fez com que a LTC fosse parar em US$ 41,47.

Importante ressaltar que seu volume de troca, sempre acima de US$ 2 bilhões, declinou exatamente no dia 16 de junho – na segunda metade do mês.

O valor de mercado, inicialmente em US$ 3,12 bilhões, finalizou o mês avaliado a US$ 2,6 bilhões.

Gráfico com as variações de preço da Litecoin durante junho
Gráfico com as variações de preço da Litecoin durante junho

4 – Bitcoin Cash (BCH)

O Bitcoin Cash, outra criptomoeda surgida de um hard fork do Bitcoin, foi a quarta performance “menos pior” do sexto mês do ano.

Ao todo, foram perdidos 13,07% em valorização, após o BCH iniciar junho cotado a US$ 255,35 e terminar cotado a US$ 221,99.

Assim como a Litecoin, o volume de troca de BCH teve uma queda notável a partir do 16º dia do mês. Entretanto, a mesma não foi tão acentuada.

O valor de mercado, antes em US$ 4,7 bilhões, terminou junho em pouco mais de US$ 4 bilhões.

Gráfico com as variações de preço do Bitcoin Cash durante junho
Gráfico com as variações de preço do Bitcoin Cash durante junho

3 – Bitcoin (BTC)

A maior criptomoeda do mundo em valor de mercado não escapou das perdas de junho.

O Bitcoin sofreu um tombo de 10,13% no sexto mês do ano. Iniciando junho acima de US$ 10 mil, mais precisamente em US$ 10.167,27, o BTC termina o mês cotado a US$ 9.137,99.

Assim como todas as criptomoedas aqui tratadas, o BTC sofreu um declínio no volume a partir do dia 16 de junho.

O valor de mercado, antes de US$ 186,9 bilhões, finalizou junho em US$ 168,3 bilhões.

Gráfico com as variações de preço do Bitcoin durante junho
Gráfico com as variações de preço do Bitcoin durante junho

2 – Ethereum (ETH)

O Ethereum, a maior altcoin do mercado, também sofreu quedas.

Apesar do impulso do mercado de finanças descentralizadas (DeFi) e a proximidade do do Ethereum 2.0, tais fatores não foram suficiente para impedir uma queda.

O ETH sofreu uma queda de 8,38% em junho, saindo de US$ 246,99 para US$ 226,31.

Seu volume de troca também apresentou uma queda considerável a partir do dia 16 de junho.

Por fim, o valor de mercado total saiu de US$ 27,4 bilhões para US$ 25,2 bilhões.

Gráfico com as variações de preço do Ethereum durante junho
Gráfico com as variações de preço do Ethereum durante junho

1 – Cardano (ADA)

A Cardano foi a única criptomoeda do top 10 que apresentou ganhos em junho.

Devido à proximidade da atualização Shelley da rede, a ADA valorizou 2,39% no sexto mês do ano.

Após iniciar junho cotada a US$ 0,081168, a Cardano finalizou o mês cotada a US$ 0,083116.

O valor de mercado avançou de US$ 2,1 bilhões para US$ 2,154 bilhões, um aumento de US$ 54 milhões.

Seu volume de troca, diferente das outras criptomoedas apresentadas aqui, permaneceu sem quedas bruscas após o dia 16 de junho.

Gráfico com as variações de preço do Cardano durante junho
Gráfico com as variações de preço do Cardano durante junho

Leia também: Dono da Amazon poderia comprar todos os Bitcoins existentes

Leia também: Mais de 11.000 Bitcoins estão emitidos na rede Ethereum

Leia também: CVM proíbe atuação de mais uma empresa de Forex no Brasil

Forex Crypto News: Cripto Facil