Carteira apresentada pelo GBB contém Bitcoins “sumidos”, afirma a EXM Partners

Carteira apresentada pelo GBB contém Bitcoins "sumidos", afirma a EXM Partners

No início de maio, o CriptoFácil noticiou sobre a carteira do Grupo Bitcoin Banco (GBB) não possuir Bitcoins. A informação foi passada pela administradora judicial de sua recuperação judicial, a EXM Partners.

Contudo, conforme noticiado pelo Cointelegraph Brasil nesta terça-feira, uma paper wallet do GBB foi apresentada com mais de 7.000 BTCs.

Bitcoins aparecem

Conforme noticiado pelo CriptoFácil, a EXM havia relatado que os Bitcoins não estavam mais na carteira informada. Os valores foram transferidos, e a administradora judicial afirmou que o GBB não comprovou a posse da carteira.

Entretanto, uma paper wallet supostamente do GBB foi apresentada contendo os Bitcoins anteriormente não exibidos. A carteira foi apresentada no dia 15 de maio, em reunião com o GBB, o perito judicial Átila Sauner Posse e seu assistente especializado em tecnologia, Filipe Ferrarini Gevaerd.

De acordo com um trecho do documento, salientado pelo Cointelegraph Brasil, o relatório sobre a apresentação da carteira revelou:

“restou, portanto, devidamente demonstrada à AJ, que é auxiliar deste Juízo, a ‘paper wallet’ com as citadas criptomoedas, que possui saldo superior a 7.000 BTC (conforme anexo – Ata de Reunião) em integral cumprimento ao item 9 da decisão acima referenciada”, destacou a EXM.

Na ata de reunião, os endereços das carteiras foram ocultados.

Posicionamento do GBB

Em nota encaminhada ao CriptoFácil, o Grupo Bitcoin Banco se posicionou da seguinte forma:

“O Grupo Bitcoin Banco informa que, na última sexta-feira (15) foram realizados os atos solicitados em determinação à decisão de mov. 6970 art. 9, proferida nos autos de Recuperação Judicial – RJ. No ato houve a constatação do saldo – superior a 7.000 BTC – já declarado anteriormente no processo, perante o perito nomeado pela juíza para realização da nova perícia prévia e seu assistente especializado em tecnologia, além do Administrador Judicial da EXM Partners e representantes jurídicos das Recuperandas. No ato também foi apresentada, pelo representante das Recuperandas, as chaves de recuperação da “paper wallet”. A partir desse ato fica definido que os endereços das chaves pública (Bitcoin ADRESS – SHARE), da chave privada (Privet Key – SECRET), bem como o saldo, devem permanecer em segredo de justiça. (sic)”

Os Bitcoins desaparecidos

Conforme informado pela EXM Partners, em visita à sede do GBB em 17 de dezembro de 2019, foi constatada a existência de uma carteira com 7.000,99930646 BTC. Porém, conforme afirmado pela administradora judicial, a carteira possuía um saldo de apenas 0,000006 BTC quando consultada publicamente por um explorador de bloco.

O valor foi movimentado em duas transações, uma de 5.000,99910936 BTC e outra de 2.000 BTC. A EXM questionou o GBB sobre as transações, sendo marcada uma reunião na semana seguinte para explicar as movimentações.

Na segunda reunião, foi exibida pelo GBB uma carteira no cliente Bitcoin Core com o saldo de 7.089,58263542 BTC. Porém, a Administradora Judicial afirmou à época que os valores “não transmitem a realidade”.

Desta forma, a reunião na qual foi entregue a paper wallet se deu para sanar as dúvidas da administradora judicial.

Leia também: Polícia Civil do Paraná: GBB usou suposto roubo sofrido como desculpa para não pagar clientes

Leia também: G44 já responde a mais de 300 processos no Distrito Federal

Leia também: Justiça dá 48 horas para Atlas Quantum depositar criptomoedas de investidores

Forex Crypto News: Cripto Facil