Brasil é o país da América do Sul com mais traders de criptomoedas, mostra levantamento

Brasil é o país da América do Sul com mais traders de criptomoedas, mostra levantamento

Um mapeamento feito pela empresa focada em análises de criptomoedas ICO Analytics mostrou que o Brasil é o país sul-americano com maior número de traders de criptomoedas. Quando inclui-se América do Norte e Central na análise, o país passa a ser o segundo colocado do ranking, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Brasil tem 2,0% dos traders

Segundo o levantamento, publicado nesta segunda-feira, dia 8 de junho, pela ICO Analytics em sua conta no Twitter, nas Américas o Brasil supera países como Canadá, Venezuela e México. Já que possui 2,0% dos traders de criptomoedas, contra 1,6% do Canadá, 0,9% da Venezuela e 1,7% do México.

Quantidade de traders pelo o mundo

O mapeamento mostra a distribuição geográfica dos comerciantes de criptomoedas em todo o mundo. Segundo a ICO Analytics, a análise foi feita considerando o tráfego da Web das 70 exchanges de criptomoeda mais populares do mundo.

“Criamos uma lista dos 30 principais países que enviam tráfego para essas plataformas de negociação”, explicou a ICO.

EUA lideram ranking

A nível global, os Estados Unidos também lideram o ranking, com 14,2% dos traders do mundo. Em seguida, vem a Coreia do Sul com 10,4%. O terceiro país no ranking é a Rússia, com 6,9% e a China, vem em quarto lugar, com 4,0%. Já a Inglaterra e a Suécia vêm na sequência com 3.3% dos traders cada.

Analisando ainda globalmente, dos 30 países listados o Brasil é o 15º com maior número de traders de criptomoedas do mundo.

Parte de baixo do ranking

Por outro lado, a África do Sul, único país pertencente ao continente africano na lista é o último país do ranking, com 0.6% dos traders do mundo. 

Irã e Taiwan têm, cada um, 0,7% dos traders e Filipinas, Bélgica e Suíça 0.8% cada.

Confira a lista completa:

  1. Estados Unidos 14,2%
  2. Coreia do Sul 10.4%
  3. Rússia 6.9%
  4. China 4,0%
  5. Inglaterra 3.3%
  6. Suécia 3.3%
  7. Alemanha 2.9%
  8. Índia 2.7%
  9. Polônia 2.7%
  10. França 2.7%
  11. Vietnã 2.4%
  12. Indonésia 2.2%
  13. Japão 2.2%
  14. Turquia 2.1%
  15. Brasil 2.0%
  16. México 1.7%
  17. França 1.7%
  18. Espanha 1.7%
  19. Canadá 1.6%
  20. Tailândia 1.5%
  21. Itália 1.5%
  22. República Checa 1.4%
  23. Austrália 1.1%
  24. Venezuela 0.9%
  25. Filipinas 0.8%
  26. Suíça 0.8%
  27. Bélgica 0.8%
  28. Taiwan 0.7%
  29. Irã 0.7%
  30. África do Sul 0.6%

Leia também: Traders apontam “padrão Bart Simpson” na queda do Bitcoin

Leia também: Grayscale explica porque comprou mais de R$ 20 bilhões em Bitcoin

Leia também: Ferramenta brasileira busca ajudar traders em suas operações

Forex Crypto News: Cripto Facil