Bitcoin e Ethereum são centralizados, afirma fundador da IOTA

Bitcoin e Ethereum são centralizados, afirma fundador da IOTA

A IOTA foi criada com o objetivo de corrigir algumas falhas percebidas na blockchain e no Bitcoin.

A blockchain do Bitcoin tem a capacidade de processar apenas sete transações por segundo, além do problema de altas taxas durante períodos de congestionamento.

Em uma entrevista ao Coinmarketcap, os fundadores da IOTA Dominik Schiener e David Sønstebø conversaram sobre os erros, lições aprendidas e experiências.

Bitcoin e Ethereum são centralizados

Bitcoin e Ethereum são impulsionadas pela mineração, processo por meio do qual transações são confirmadas e liquidadas.

Há uma diferença na Tangle da IOTA, segundo Sønstebø, que faz parecer que ambas as blockchains são centralizadas.

Ele defende que um usuário só tem voz na rede se puder fornecer recursos de hardware suficientemente fortes para participar da mineração.

“Isso não é descentralização. Isso é uma pseudo-descentralização. Na realidade, são apenas cinco ou dez grandes operadoras que controlam toda a rede. Isso é Bitcoin. Esse é o Ethereum. É assim que eles operam e sempre funcionarão dessa maneira. É a única maneira que eles podem operar.”

A IOTA, segundo ele, pode resolver facilmente o problema de centralizar a mineração, tornando a confirmação da transação um processo natural no emaranhado, totalmente gratuito:

“Você pode ter escalabilidade, descentralização ou baixo custo. Na IOTA, temos os três. E essa é uma promessa enorme, enorme e ousada.”

Blockchain é “protótipo com problemas”

A IOTA foi fundada para resolver problemas da tecnologia blockchain.

Conforme dito, a blockchain Bitcoin pode processar quase sete transações por segundo, e ainda sofre com altas taxas de transação em alguns períodos.

Segundo Sønstebø, esses fatos por si só indicam que a tecnologia está no início. As soluções de escalabilidade estão sendo desenvolvidas, mas ainda não estão prontas para uso:

Blockchain em si é o que eu chamaria de protótipo. É um produto que você constrói e é minimamente viável. Funciona. Mas não funciona quando você deseja escalá-lo.”

A arquitetura técnica da IOTA é realizada usando um gráfico acíclico direcionado (DAG).

A IOTA não tem limites de escalabilidade e não há taxas de transação. Ainda segundo Sønstebø, essa é uma das principais razões pelas quais a criptomoeda foi desenvolvida:

“Foi isso que a IOTA foi criada para resolver. É por isso que passamos por essa jornada nos últimos cinco anos, para desenvolver uma arquitetura completamente nova que remove as taxas, remove problemas com escalabilidade, gargalos e também melhora a descentralização.”

Schiener também concorda com Sønstebø. Ele defende que uma blockchain altamente escalável, tornando-se um novo padrão em administração pública de cidades, gerenciamento de energia e muitos setores ainda está muito longe.

Atualmente, o potencial e os limites da referida tecnologia ainda estão sendo pesquisados, ​​e os primeiros resultados ainda estão sendo coletados.

Resta ver se a blockchain realmente se estabelecerá a nível global, defendem os fundadores da IOTA.

Leia também: IOTA anuncia a criação de seu próprio “Facebook”

Leia também: Mercado Bitcoin liquida primeiro título tokenizado com rentabilidade de 409% do CDI

Leia também: Contratos futuros de Bitcoin e Ethereum têm forte queda no volume

Forex Crypto News: Cripto Facil