A história do Bitcoin parte 19: Wikileaks e o ninho de vespas

“O Wikileaks chutou o ninho de vespas e o enxame está vindo em nossa direção.”

Após essa frase, Satoshi Nakamoto entrou no esquecimento deixando uma série de perguntas sem resposta que encobririam seu desaparecimento. Essa mensagem sinistra esteve em seu penúltimo post no fórum Bitcointalk, enviado um dia antes de sua mensagem final. O que aconteceu para colocar o Wikileaks na mira do criador do Bitcoin? Vamos descobrir hoje em mais um texto da série Bitcoin History.

O Wikileaks abraça o Bitcoin

As palavras de Satoshi que abriram este texto foram carregadas com um pressentimento, um sinal de que o mandato de Nakamoto como figura principal da comunidade de Bitcoin havia atingido seu fim inevitável.

Sua observação de que o Wikileaks “chutou o ninho de vespas” refere-se à possibilidade do controverso site de denúncias e vazamentos aceitar Bitcoin como forma de doação, depois que o governo dos Estados Unidos forçou empresas como Visa, Mastercard e Paypal a bloquearem pagamentos direcionados à “organização hacker”.

Tal medida poderia trazer uma grande demanda para o Bitcoin – algo que Satoshi temia acima de tudo. Em uma mensagem no Bitcointalk, Satoshi afirmou que o Bitcoin precisava “crescer gradualmente para que o software possa ser fortalecido ao longo do caminho”, e a associação com o Wikileaks era, segundo ele, um risco muito precipitado.

Desorientado, o criador do Wikileaks Julian Assange tentou combater a extradição para os EUA nos tribunais britânicos. Segundo ele, teve um retorno financeiro de 50.000% com Bitcoin nos anos que se seguiram ao desaparecimento de Satoshi. É interessante relembrar que esse foi o período – dezembro de 2010 – em que Satoshi começou a abandonar a comunidade e o investimento do Wikileaks em Bitcoin começou a ser seriamente discutido. Esta foi uma verdadeiro divisor de águas, um evento significativo não apenas para a história do Bitcoin, mas também para a vigilância do estado e para aqueles que reagiriam a ela.

O homem que chutou o ninho

Você pode se perguntar por que o fundador do Bitcoin ficou tão alarmado com a notícia de que o Wikileaks queria usar a criptomoedas para arrecadar doações. Afinal, o Bitcoin foi projetado para contornar intermediários e governos e evitar a necessidade de uma autoridade central – e aqui estava um caso de uso perfeito para provar seus benefícios. No entanto, Satoshi acreditava que o Bitcoin ainda não estava pronto para isso.

Em resposta a um membro do fórum que elogiou positivamente a aceitação do bitcoin pelo Wikileaks, publicado exatamente uma semana antes de seu último post no fórum, ele alertou: “Não, não faça isso. O Bitcoin é uma pequena comunidade beta em sua infância. Você não arrecadaria mais do que alguns trocados, e a pressão que você traria provavelmente nos destruiria (a rede do Bitcoin) nesta fase.”

O problema era muito claro: o interesse indesejado do governo na criptomoeda recém-criada era a última coisa de que o Bitcoin precisava naquele momento. E como quase todos os outros meios de pagamento se recusavam a processar doações para o Wikileaks, a solicitação de doações de Julian Assange via Bitcoin parecia uma questão de tempo.

No mínimo, Satoshi queria que essa mudança fosse desencorajada – e ele disse isso a Assange, algo que ele mesmo confirmou em uma sessão de 2014 do Ask Me Anything (AMA) no fórum Reddit, e também em seu livro “When Google Met WikiLeaks” (Quando o Google conheceu o Wikileaks, em tradução livre).

A dissuasão

No final, o WikiLeaks leu e concordou com a análise de Satoshi e decidiu adiar o lançamento de um canal para recebimento de doações de Bitcoin até que a moeda se tornasse mais estabelecida. O endereço de doação de Bitcoin do WikiLeaks foi lançado após o primeiro grande boom da moeda, em 14 de junho de 2011.

Curiosamente, o Wikileaks abriu a opção para doações com Bitcoin apenas dois meses após a última mensagem de Satoshi – um e-mail para o colaborador do Bitcoin Gavin Andresen.

O resto, como dizem, é história. O Wikileaks recebeu dezenas de milhões de dólares em doações via Bitcoin entre 2011 e 2018 (o número exato continua sendo contestado). Julian Assange passou anos como asilado político na embaixada do Equador de Londres antes de ser expulso da embaixada e preso em 2019.

E, quase 10 anos contando com a ausência de Satoshi, o Bitcoin está pronto para “chutar muito mais ninhos de vespas”  e se tornar cada vez mais forte em defesa dos cidadãos e contra as arbitrariedades monetárias de governos.

Leia também: A história do Bitcoin parte 18: a primeira carteira

Forex Crypto News: Cripto Facil