10 coisas para acompanhar no setor de criptomoedas em 2020

As coisas mudam rapidamente no setor de criptomoedas. A única previsão que parece segura é que as narrativas e métricas que parecem importantes hoje serão eclipsadas por novas ideias, em questão de meses.

À beira de um novo ano e de uma nova década, este artigo produzido pela Coindesk tenta analisar os eventos e questões importantes a serem observados em 2020.

1. O halving

Em maio, será reduzida pela metade a recompensa de bloco atribuída aos mineradores que mantêm a rede na qual o Bitcoin é executado. Isso significa que os mineradores que contribuem com o poder computacional para a segurança da rede receberão metade da quantidade de Bitcoins para cada bloco de dados que gravarem com sucesso na blockchain do Bitcoin.

2. SEC versus Telegram

O Telegram, uma plataforma de mensagens, tornou-se a segunda maior oferta inicial de moedas (ICO) de 2018. As ações da ICO foram vendidas nos EUA sob uma isenção da SEC (Comissão de Valores Mobiliários), com os acionistas esperando a entrega de um criptoativo, assim que a rede baseada em blockchain da Telegram ir ao ar. Em 2019, a SEC entrou com uma ação para bloquear essa distribuição de ativos e o Telegram está reagindo. Não espere que isso termine em 2020, mas as reviravoltas ao longo do caminho moldarão ativamente a maneira como os desenvolvedores e os investidores verão suas perspectivas de distribuição e uso de novas moedas e tokens.

3. Lançamento da Calibra do Facebook

O projeto Libra do Facebook seguirá seu plano de lançar uma carteira para armazenar e transferir a stablecoin proposta até junho de 2020? Se isso acontecer, estaremos observando atentamente os indicadores para nos dizer se a Libra está cumprindo ou está aquém da sua promessa de bancarizar os desbancarizados.

4. Recessão e volatilidade

Desde a sua fundação, o Bitcoin está ligado à ideia de que o estímulo econômico por meio da política monetária é uma má ideia. Com as taxas de juros negativas nas economias de todo o mundo, muitos bitcoiners parecem estar observando os sinais da recessão global iminente com algo que se aproxima da alegria. A narrativa do Bitcoin nos diz que ele é “ouro digital”. Portanto, deve atuar como um paraíso em tempos de crise econômica.

5. Partidos políticos dos EUA

O ano de 2019 viu comentários sobre o Bitcoin vindo da Casa Branca e do Federal Reserve dos EUA. A entrada do Facebook no setor de criptoativos levou as moedas digitais ao Congresso. No cenário político polarizado dos EUA, é improvável que uma questão polarizadora como as criptomoedas seja uma questão bipartidária.

6. Ativos fora da cadeia (off chain)

Em 2019, o uso crescente da stablecoin Tether inclinou o volume de transações para criptoativos apoiados por ativos fora da cadeia, como dólares, em vez de ativos que derivam seu valor de efeitos de rede na cadeia ou de outros fundamentos ainda não definidos.

7. Adoção de DeFi

“DeFi”, ou “finanças descentralizadas”, é a narrativa mais recente para capturar a imaginação dos futuristas que seguem o Ethereum e que acreditam que aplicativos descentralizados e contratos inteligentes são uma invenção a par da corporação de ações. O DeFi atrairá novos usuários para os criptoativos? Os bancos sem banqueiros permitirão que o financiamento global faça incursões em novas partes da economia global?

8. Moedas digitais de bancos centrais

Em 2019, a conversa de Pequim sobre um yuan digital fez da China a primeira grande economia a mostrar intenções de emitir sua própria moeda digital, com base em alguma “extensão” no modelo do Bitcoin para validação de transações e propriedade. Como um yuan digital mudaria o setor de criptoativos? Como isso pode mudar o equilíbrio do poder econômico e o status do dólar como moeda de reserva global?

9. Fluxos “institucionais”

Embora ainda não tenhamos visto a aprovação de um fundo negociado em uma exchange de Bitcoin regulamentado nos EUA, outros derivativos de criptomoedas, como Futuros de Bitcoin, foram aprovados nas verificações e análises necessárias dos reguladores dos EUA. O presidente da Comissão de Comércio e Futuros de Commodities (CFTC, na sigla em inglês) Heath Tarbert chegou a sugerir em um discurso este ano que um mercado regulamentado de Futuros de Ethereum nos EUA também não está longe de ser aprovado. Qual o impacto que essas novas ferramentas financeiras podem ter no nível de participação institucional no setor cripto até 2020?

10. Ethereum 2.0

O Ethereum desde sua ativação em 2015, operou com um esquema de segurança semelhante ao da primeira criptomoeda do mundo, o Bitcoin. Chamado de modelo de consenso, o Ethereum e o Bitcoin atualmente operam sob um modelo de consenso de “prova de trabalho”. No início de 2020, os desenvolvedores do Ethereum esperam revisar esse design para um novo mecanismo de consenso chamado “prova de participação”. Enquanto outras criptomoedas já tentaram construir blockchains aproveitando a prova de participação, o Ethereum será de longe a maior criptomoeda do mercado em valor de mercado a experimentar esse design.

Leia também: Saiba qual a maior qualidade do Bitcoin

Forex Crypto News: Cripto Facil

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *